Noticias 30 de janeiro de 2019, 13:17h

Como funciona o primeiro benchmark a testar a Inteligência Artificial em celulares Android

Falar sobre benchmarks de smartphones é quase o mesmo que falar sobre o AnTuTu. É uma aplicação que mede o desempenho de smartphones em diferentes cenários, para depois dar uma pontuação e compará-lo com outros dispositivos. Até agora, o aplicativo se concentrou no desempenho aritmético, gráfico e cálculos absolutos. Mas agora a empresa deu um passo adiante, com o lançamento do AiTuTu.

Como você deve ter adivinhado pelo nome, o AiTuTu é uma referência que mede o desempenho da inteligência artificial (IA) em qualquer dispositivo Android. Isto consiste em duas fases: classificação de imagens e reconhecimento de objetos.

Como funciona?

A primeira coisa que precisa ser destacada é que não existe um padrão universal para medir o desempenho da inteligência artificial e que cada fabricante entende isso de uma maneira. Por exemplo, podemos citar processadores da Qualcomm e Huawei. Enquanto os chips da primeira empresa executam as tarefas de IA através do DSP (processador de sinais digitais, na sigla em inglês), a Huawei implementa em seus processadores Kirin, uma NPU (Unidade de Processamento Neural).

Além disso, cada fabricante possui seu próprio SDK , ou seja, seu próprio kit de desenvolvimento. A Qualcomm tem o SNPE (Mecanismo de Processamento Neural Snapdragon), a MediaTek tem o NeuroPilot, NVIDIA tem o Tensor RT, e assim por diante. Em suma, o que eles fizeram desde AnTuTu é para criar uma colaboração unificada com os principais padrões. O resultado é um teste que foi desmembrado, como dissemos antes, em duas categorias: classificação de imagens e reconhecimento de objetos.

Reprodução

Uma das tela do Aitutu: teste de reconhecimento de imagens

A classificação das imagens baseia-se na rede reutilizadora Inception V3, que possui um banco de dados de 200 imagens , enquanto o reconhecimento de objetos utiliza a rede SSD da MobileNet , cujo banco de testes consiste em um vídeo com 600 quadros.

A pontuação depende da velocidade e precisão com que a inteligência artificial do telefone celular é capaz de realizar as tarefas de reconhecimento. Naturalmente, você sofre uma penalidade na pontuação se o reconhecimento for rápido, mas a precisão de acertar o que é cada imagem for baixa.

Pequenas exceções

O app estabelece uma série de casos especiais. A primeira é que os resultados entre diferentes processadores que usam um processo de IA semelhante não variam muito. Em outras palavras, o Snapdragon 845 e o Snapdragon 710 são diferentes em potência, mas usam o mesmo DSP, que processa as tarefas de inteligência artificial. Os resultados entre um e outro não são muito diferentes.

Quando analisamos um smartphone Samsung, uma vez que a empresa ainda não lançou seu SDK, o que realmente é analisado é o desempenho da CPU. Como o trabalho deles não é executar tarefas de IA, o AiTuTu avisa que os resultados serão baixos e que irão melhorar quando o SDK for lançado. Algo semelhante acontece com alguns processadores Kirin, que continuam usando o processo TFLite para alguns cálculos, gerando baixas pontuações.

Por fim, eles destacam que os telefones celulares com o Android 9 Pie devem ter uma pontuação maior do que os dispositivos com o Android 8 Oreo. Isso porque o Google “está otimizando o suporte à inteligência artificial no nível do sistema”.

Agora esperamos ter logo em mãos aparelhos com “capacidade neural” suficiente para podermos testar a inteligência deles com o AiTuTu.


Fonte: Olhar Digital 

Compartilhe:



Comente no Facebook:

Desenvolvido por Investing.com

Livro

Mercados Futuros

Como vencer operando futuros

Adquira aqui seu exemplar
Acompanhe

Cotações Internacionais

100% gratuitas, veja agora

Facebook Notícias Agrícolas

Dúvidas sobre Mercados Futuros:

contato@operefuturos.com.br

Quer anunciar neste site? Entre em contato:

Publicidade Popular - (51)4042.9919 ou gabriel@m5agenciadigital.com.br