Spread

É considerada uma das melhores oportunidades do mercado futuro. Essa operação busca identificar distorções entre os vencimentos de determinados ativos e assim ganhar com a correção da mesma. O boi no mercado futuro possui vencimentos mensais, ou seja, boi janeiro, boi fevereiro e assim por diante. Algumas vezes um determinado vencimento sofre uma brusca oscilação e distorce em relação aos demais vencimentos, essa é a oportunidade para se entrar na operação. Exemplo: Um grande frigorífico decide encerrar suas posições compradas no vencimento outubro, mas como seu volume é grande acabam derrubando os preços e assustando os investidores desse vencimento. Enquanto a grande maioria se assusta você deve vislumbrar a oportunidade, comprando este vencimento e vendendo o vencimento novembro, acreditando que logo o mercado irá ajustar a diferença normal entre os dois. Mas para essa tomada de decisão é importante uma minuciosa análise antes da operação.

Você deve analisar o gráfico da diferença destes dois ativos. Para essa comparação é interessante utilizar o gráfico de linhas. Nem todos possuem acesso a esse gráfico, mas nada impede de conseguirmos as mesmas informações no bom e velho Excel. Observe no gráfico abaixo que temos o gráfico de linhas comparando os dois ativos, o gráfico da diferença entre os dois ativos, o resumo do spread (informações importantes) e a curva das ocorrências. O gráfico das ocorrências nos mostra quantas vezes a diferença atual já ocorreu, pois quanto menos vezes ela tenha ocorrido mais interessante está a operação. A Bolsa também fornece relatórios em Excel, em que são colocados os comparativos entres os vencimentos.

Caso você não possua uma plataforma que disponibilize todas as informações prontas, basta seguir os passos a seguir.

1º Passo: Para buscar dados históricos entre os dois ativos, o ideal é pegar a série desde quando ambos passaram a ter um bom volume de negócios. Isso é particular de cada um, pode ser 2 meses, 5 meses ou mais. Depois, organizar as informações em colunas no Excel e criar uma coluna da diferença entre eles.

DIA BGIV BGIX Diferença
1 140,00 142,00 2,00
2 140,50 142,50 2,00
3 140,50 143,00 2,50
4 140,50 142,50 2,00
5 139,00 141,00 2,00
6 139,00 140,50 1,50

BGIV seria o contrato futuro de boi gordo vencimento outubro.

BGIX seria o contrato futuro de boi gordo vencimento novembro.

 

2º Passo: Calcular a média da coluna da diferença. Há um ditado no mercado que diz que tudo sempre retorna a média. A lógica do spread nada mais é do que isto, aproveitar uma distorção e realizar o lucro quando ela voltar à normalidade, ou seja, média.

Fonte: Excel

No exemplo que citamos a média é 2,00.

 

3º Passo: Calcular o Desvio Padrão. Esse nome assusta alguns, mas este é um dos maiores amigos do investidor e é bastante simples de calcular no Excel, basta clicar em inserir função DESVPAD. Para calcular você deve selecionar a coluna da diferença e será gerado o desvio padrão dessa diferença.

Fonte: Excel

No exemplo que citamos o desvio padrão é 0,32.

 

4º Passo: Agora que já se sabe a diferença média e o seu respectivo desvio padrão, deve-se verificar se o mercado desviou mais que o padrão fazendo um cálculo muito simples:

Média + (mais) Desvio Padrão = Oportunidade de Venda de Spread

Média – (menos) Desvio padrão = Oportunidade de Compra de Spread

 

Vejamos o exemplo:

Média (2,00)+Desvio Padrão (0,32) = 2,32. Quando a diferença entre o vencimento V e X for maior que 2,32 é uma excelente oportunidade de entrada vendendo BGIX e comprando BGIV, zerando quando voltarem para a média 2,00. Tendo o potencial de lucro na operação de 0,32.

Média (2,00)-Desvio Padrão (0,32) = 1,68. Quando a diferença entre o vencimento V e X for menor que 1,68 é uma excelente oportunidade de entrada vendendo BGIV e comprando BGIX, zerando quando voltarem para a média 2,00. Potencial de lucro da operação.

 

Considerações Importantes: Depois de muitas operações, tiramos alguns ensinamentos. O complicado disto é que alguns destes ensinamentos custaram dinheiro e como diz o ditado “aprender com o erro dos outros é mais barato”.

  • Sempre avalie bem a liquidez (negócios) dos vencimentos que você entrará, principalmente se for entrar com volume alto.
  • Faça uma comparação sobre como esse spread se comportou no mesmo período nos anos anteriores, pois há períodos em que é normal ocorrer distorções. Ideal olhar de 3 a 5 anos anteriores.
  • Evite operar vendido em vencimentos de entressafra e comprado em vencimentos de safra. Caso faça isto, opere o mais curto possível. Na safra ocorre a entrada da commodity no mercado, o que tende a aumentar a oferta e derrubar os preços, porém na entressafra ocorre a falta da commodity o que tende a aumentar os preços.
  • Defina seu prejuízo na operação e caso acione o seu stop (prejuízo) no fechamento do dia, não persista, acione o stop, pois um spread quando desanda pode não voltar mais. A disciplina em saber sempre assumir um prejuízo é um dos fatores que aumenta consideravelmente o sucesso de um investidor.
  • Evite manter a operação até muito próximo do vencimento em contratos que possuem entrega física, como é o caso do café, pois geralmente nestes períodos o mercado faz movimentos difíceis de prever.
  • Se a operação não andar como você esperava, evite a tentação de zerar uma das pontas e continuar somente comprado ou vendido.
  • Não se alavanque muito.
  • Se você possui ativos de longo prazo em sua carteira, utilize os mesmos como garantia e remunere sua carteira com operações de spread, mas tome cuidado na alavancagem. Use para remunerar ações, CDB, Tesouro Direto e outras garantias.
  • Evite trabalhar as pontas separadamente, quando entrar ou sair da operação execute as duas pontas simultaneamente. É possível administrar as pontas, mas faça isto somente quando possuir mais tempo de experiência.
  • Dê preferência para essa operação para os contratos com liquidação financeira e não física, pois quando há liquidação física pode haver algum tipo de manipulação por parte de quem possui a mercadoria.
  • Conforme se ganha experiência é possível balancear algumas pontas com mais ou menos lotes que as outra, mas isto requer experiência, pois busca-se aliar viés e leitura de book na operação.
  • Ideal é aliar fundamento e estatística na operação, pois assim se torna uma operação mais “segura”, quando você opera contra o fundamento, mas buscando pegar uma distorção, esta operação deve ser de curto prazo, pois ela pode continuar indo contra, pois é o fundamento dela. Exemplo: no milho temos um spread interessante, CCMH(março) com CCMK(maio), sendo que no mês de maio tem mais milho disponível no mercado, pois é auge da safra de verão. Então é interessante operar vendido no K e comprado no H o mais perto possível de R$ 0,00 de diferença entres eles, isto é operar pelo fundamento, porém se a relação abrir para 1,50 bruscamente você pode comprar o K e vender o H, mas deve ser operação rápida, pois a diferença poderá aumentar mais e ir a favor do fundamento. Já se você montar ela com R$ 0,10 comprando o H e vendendo o K, como está a favor do fundamento e estatística pode manter posição mais longa, caso não aja nenhum fator atípico como quebra de safra e etc.

Compartilhe:



Comente no Facebook:

Desenvolvido por Investing.com

Livro

Mercados Futuros

Como vencer operando futuros

Adquira aqui seu exemplar
Acompanhe

Cotações Internacionais

100% gratuitas, veja agora

Facebook Notícias Agrícolas

Dúvidas sobre Mercados Futuros:

contato@operefuturos.com.br

Quer anunciar neste site? Entre em contato:

Publicidade Popular - (51)4042.9919 ou gabriel@m5agenciadigital.com.br